EXCLUSIVO   Entrevista com o Sargento Fahur   Conexão Política

Uma Entrevista EXCLUSIVA com um Fahur – Conexão-Política

“Já passou da hora de parar de criar leis e regulamentos que só vai beneficiar os bandidos em detrimento das pessoas de bem. A penalidade será aplicada, sem o famoso ” saídas. O lugar de bandido é na cadeia ou no cemitério”, disse o Sargento, Fahur.

Gilson Cardoso Fahur, mais comumente conhecido como o Sargento Fahur, ele era um policial militar em nova york durante 35 anos e se aposentou recentemente. Tem 54 anos, e ele era conhecido nacionalmente por seu sucesso nas operações que levaram a e também por meio de suas atitudes e ações como funcionário da estrada militar, que, juntamente com sua equipe, e fez grandes prisões e apreensões, que ganharam notoriedade nacional. Com as posições e tomar uma posição contra os bandidos, e as suas declarações sempre viralizaram, tornando-o um dos policiais mais bem-conhecido no Brasil, é em suas redes sociais, tem mais de 2 milhões de seguidores.

EXCLUSIVO   Entrevista com o Sargento Fahur 21
uma Entrevista EXCLUSIVA com um Fahur 21

O sargento Fahur, e sua ex-co-trabalhadores.

Depois de 35 anos como policial na PMPR, estão aposentados. Sente muita falta, ou já se acostumaram a reforma?

“Eu me aposentei porque era exigido por lei, nós nunca vai se acostumar com isso. Eu tinha o que eu gosto de fazer, que é tornar o vilão”, disse o sargento.

Você acha que faltam leis mais rigorosas para impedir o crime nos estados unidos?

“Existe uma forte leis, e a falta de fazer cumprir as leis que já existem. Além disso, já passou a hora de parar de criar leis e regulamentos que só vai beneficiar os bandidos em detrimento das pessoas de bem. A penalidade será aplicada, sem o famoso ” saídas. O lugar de bandido é na cadeia ou no cemitério.”

Diminuir a Idade do consentimento de um Criminoso, já passou da hora de acontecer?

“O mínimo que você tem que pagar para a gravidade do seu crime, e não para sua idade. O suficiente da impunidade para os pequenos bandidos.”

Você concorda com a declaração: “o estatuto do desarmamento, só a caverna e um cidadão do bem”?

“Sim. O bandido não entrega arma, e você sabe que você é um cidadão de bem que está a utilizar. É fácil para os bandidos.”

Como o senhor se avaliar o atual ambiente político em nosso país?

“No atual ambiente político mostra que a grande maioria de nossos “representantes” estão preocupados apenas com eles mesmos. Mas também mostra que a empresa não faz bem, e que a urna vai reagir.”

Ele não tem a pretensão de concorrer em alguns dos pós-político? Se sim, qual seria o seu “banners”?

“Eu fui forçado a retirar-se do serviço de Polícia, nas forças armadas, e eu preciso continuar a fazer algo sobre isso. Eu sinto que a sociedade, eu gostaria de ver a mim mesmo como um Congressista, vou colocar o meu nome no layout. Então, essa é a minha principal bandeira seria a defesa da família, da pessoa, e usar todas as minhas forças para tornar a vida dos bandidos no Brasil”, concluiu o sargento.

 

Fonte: conexaopolitica.com.br/ultimas/entrevistacomsargento-fahur