O fim do foro privilegiado poderá alcançar 23 senadores em 2018   Conexão Política

O objetivo do fórum especial pode ser capaz de atingir os 23 senadores, em 2018, para Conectar-se a Política de

Imagem: Reprodução

Se você não ser elegíveis para a reeleição nas eleições deste ano, 23 senadores foram investigados para a operação do Fluxo de Lava, e suas consequências podem ser perdidos para o fórum de escolha. Sem esse direito, eles perderiam automaticamente, com a opção de ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por meio da bola é o responsável pela Lava a Jato, em primeira instância, e na frente do juiz Sergio Moro, na cidade.

Entre os nomes que foram ameaçados por um Lava-Stream, são os membros dos escalões mais altos no Senado, como o presidente da câmara, Eunício Oliveira (PMDB-CE), líder do governo e presidente do PMDB, Romero Jucá (RR); e o líder do PT, Lindbergh Farias (rio de janeiro), e o líder da minoria, Humberto Costa (PT-RJ).

Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Jader Barbalho (PMDB-PA), e Edison Lobão (PMDB-MA), são os alvos da operação, e eles vão ter que ganhar nas urnas em outubro-para proteger o seu local de escolha. O último é atualmente o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que é considerada uma das comissões mais importantes da Casa.

Os senadores, Gleisi Hoffmann (PT-PR), o presidente do Partido dos Trabalhadores, e José Agripino Maia (DEM-RN), presidente nacional do Democratas, também vai precisar de renovar o seu mandato, a fim de preservar a competência de escolha. O primeiro é réu em uma ação penal na Lava-Stream, enquanto o segundo é que o réu, no desenrolar da operação, tanto no contexto do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ciro Nogueira (PI), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Aécio Neves (PSDB-MG), Aloysio Nunes (SP), Lídice da Mata (ba), Vanessa Grazziotin (AM), Valdir Raupp (RO), Ricardo Ferraço (S-S), Dalirio Beber, (S-SC), Eduardo Braga (PMDB-AM), Jorge Viana (PT-AC), e Ivo Cassol (PP-RO) inchar o coro de quem precisa de uma vitória nas urnas, a fim de preservar o direito a um julgamento por um ser Supremo.

Fonte: conexaopolitica.com.br/brasil/o-fim-do-foro-privilegiado-podera-alcancar-23-senadores-em-2018