A pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a abertura de processo para apurar o suposto pagamento de caixa 2 dois ao deputado federal Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil do governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Os acordos de delação da JBS apontaram dois repasses a Onyx, um de R$ 100 mil em 2014 e outro de R$ 100 mil em 2012.

A PGR pediu que o caso de Onyx fosse analisado separadamente, assim como outros supostos casos de caixa 2 apontados por delatores da JBS.

O tipo de processo instaurado nesta terça por Fachin, uma petição, permite a prática de atos investigativos semelhantes aos de um inquérito, como a possibilidade de medidas cautelares como a possibilidade de medidas cautelares como, por exemplo, a quebra de sigilos.

Leia também:

Bolsonaro indica Almirante Bento Costa Lima Leite para o Ministério de Minas e Energia

Raquel Dodge manda prender Governador do Rio Edson Pezão

O que diz Onyx sobre o caso

Onyx admitiu ter recebido R$ 100 mil de caixa 2 em 2014 para quitar gastos de campanha e, na ocasião, afirmou que deveria “pagar pelo erro”.

Sobre a acusação de ter recebido R$ 100 mil também em 2012, Onyx rebateu a delação e disse não ter nada a temer.

“Nada temo, não é a primeira vez que o sistema tenta me envolver com a corrupção. Alto lá, sou um combatente contra a corrupção e essa é a história da minha vida”, disse, logo após essa segunda suspeita ser revelada pela imprensa…. – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/12/04/onyx-ministro-bolsonaro-fachin-processo-pgr-caixa-dois-stf.htm?cmpid=copiaecola

Deixe uma resposta