O presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), participam da reunião.
O presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), participam da reunião.

Em meio à crise da Venezuela, que se agravou nesta sexta-feira (22) após o fechamento da fronteira com o Brasil, autoridades estão reunidas no Palácio do Planalto para discutir o assunto. O presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), participam da reunião.

Além deles, representantes dos ministérios da Defesa, Relações Exteriores, Infraestrutura, Minas e Energias, entre outros, também estão no encontro.

Uma operação organizada pela oposição ao ditador Nicolás Maduro na Venezuela prevê a entrada de ajuda humanitária para os venezuelanos partindo do Brasil e da Colômbia.

Nesta quinta (21), o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que em hipótese alguma o Brasil atravessará a fronteira.

Ataque

Nesta sexta-feira, soldados venezuelanos abriram fogo contra um grupo de civis que tentava manter aberta uma passagem na região da fronteira entre a Venezuela e o Brasil. Uma mulher e seu marido foram mortos e ao menos outras 15 pessoas ficaram feridas – 4 em estado grave -, segundo autoridades de Gran Sabana, onde aconteceu o incidente.

O ataque aconteceu na manhã desta sexta, quando uma escolta militar se aproximou de uma comunidade indígena de Kumarakapai.

Tensão na Venezuela

Os soldados abriram fogo com balas de borracha e gás lacrimogêneo quando os voluntários tentaram impedir que os veículos fechassem a passagem.

*Com Estadão Conteúdo