Bolsonaro recebe Juan Guaidó e defende democracia na Venezuela
Bolsonaro recebe Juan Guaidó e defende democracia na Venezuela – Foto: Marcos Corrêa/PR

Juan Guaidó teve uma reunião com o Presidente da República Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto nesta quinta-feira (28), da qual também participou o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

No encontro os mandatários falaram sobre a situação venezuelana e a possível transição no país vizinho.

O presidente interino da Venezuela chegou ao Brasil na noite da quarta-feira, ás 22:00 de Brasília.

Manifestação no Twitter

Na rede social Twitter, Juan Guaidó escreveu horas antes da reunião: “chagamos (ao Brasil) para manter importantes reuniões de trabalho para construir as capacidades e a cooperação internacional que nós apoiará em nosso caminho à liberdade”.

Após o encontro, Jair Bolsonaro e Juan Guaidó deram uma entrevista coletiva a jornalistas. “Nós não pouparemos esforços dentro da legalidade, da Constituição e de nossas tradições para que a democracia seja restabelecida na Venezuela”, afirmou o presidente Bolsonaro.

“E todos nós sabemos que isso será possível através, não apenas de eleições, mas de eleições limpas e confiáveis”, acrescentou.

Ja Juan Guaidó agradeceu ao presidente brasileiro a ajuda e o esforço para solucionar a crise.

“Na Venezuela existe um dilema entre democracia e ditadura, entre miséria e morte de nossa gente por fome e a prosperidade”, afirmou o presidente interino.

Guaidó saiu da Venezuela o sábado 23, para acompanhar desde Cúcuta, cidade da Colômbia e fronteira com Venezuela, a chegada da ajuda humanitária.

Mas o presidente interino tinha sido impedido de sair do país por a justiça venezuelana.

“Ele pode sair e voltar. Mas terá que dar explicações à justiça, porque foi proibido de deixar o país. Ele têm que respeitar as leis”, tinha dito Nicolás Maduro dias atrás. Ante a possibilidade de ser detido caso retorne a Venezuela, Juan Guaidó confirmou que voltaria, mas ainda está definindo planos para seu retorno.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, uma das opções que baralha a equipe de Guaidó é ingressar na Venezuela pela fronteira brasileira.